web

counter
 Imed

Prevenir doenças graves

Beber água na quantidade recomendada ajuda a prevenir doenças graves, como cálculo renal
03 NOVEMBRO 2015

Infecções urinárias, cálculo renal, desidratação e envelhecimento precoce são algumas das complicações que podem afetar quem não consome a quantidade de água recomendada e necessária para o organismo. O alerta é da médica Fabrícia Sobrinho, que integra a equipe do Pronto-Socorro do Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, unidade da Secretaria Estadual de Saúde (Susam). “Nessa época de calor intenso por conta das altas temperaturas, é necessário não descuidar da saúde e sempre manter a hidratação do organismo”, destaca Fabrícia.

Levantamento realizado pelo PS Delphina Aziz aponta que os casos de infecções urinárias, cálculo renal e desidratação representaram 16,7% do total de atendimentos realizados de junho a setembro na unidade. Nesse período, o pronto-socorro atendeu 52.631 pacientes.

Entre os 923 casos de infecção urinária registrados, 57,7% foram de pacientes do sexo feminino adultas, outros 25%, crianças do sexo feminino. No mesmo período, os casos de cálculo renal – popularmente chamados de “pedra nos rins” –, somaram 471 atendimentos, sendo 58,4% referentes a homens adultos e quatro registros em crianças do sexo masculino. Os casos de desidratação, que estão associados à diarreia e/ou vômito, somaram 7.396 atendimentos nos últimos quatro meses, no PS Delphina Aziz.

O montador Sebastião Valdenildo, 36, que buscou atendimento no Pronto-Socorro Delphina Aziz, disse que toma mais de dois litros de água todos os dias, porque sabe que isso ajuda a prevenir doenças. “Nem sucos industrializados e nem refrigerantes. Minha preferência é pela água durante o dia a dia. Ela não tem açúcar e nem sódio como essas outras bebidas.” Ele disse que nunca teve infecção urinária ou cálculo renal e acredita que é por conta do costume de tomar muita água.

Para o adulto, a recomendação são dois litros de água por dia. Para a criança, depende do peso. “Os bebês tem o leite materno, por exemplo. Os demais, têm que ingerir água mesmo quando não sentem sede e quando não se tem o hábito”, ressalta a pediatra Fabrícia Sobrinho. É importante, também, que essa água seja de qualidade, armazenada em local limpo.

O refrigerante deve ser evitado e nunca é recomendado para hidratar o corpo, ressalta a médica. “O refrigerante nunca. Tem muito sódio e é muito ácido. Ele não hidrata. O suco industrializado também não é recomendado. O natural é bom, mas o ideal mesmo é ingerir bastante água”, destaca.

A água é necessária para todos os processos metabólicos do organismo. Quem não ingere a quantidade adequada de água deixa os sais da urina muito concentrados. Ao se aglomerarem, os sais formam cristais gerando o cálculo renal, explicou a médica. A pouca quantidade de água na urina torna propícia a proliferação das bactérias e isso pode provocar a infecção urinária. Por conta da anatomia feminina, a infecção urinária é mais comum em mulheres.

A falta do líquido por si só causa a desidratação. Quando se tem vômito ou diarreia a perda de água no organismo é numa intensidade prejudicial à saúde. Todas as células do corpo precisam de água e a falta desta prejudica a elasticidade e o turgor. “Quando mais novos, nossa pele é mais turgida. Com o passar dos anos ela perde esse aspecto e quem não bebe água fica com a pele mais envelhecida”, conta Sobrinho.  


Voltar
Todos direitos reservados | IMED - 2017 - Desenvolvido por líbero+