web

counter
 Imed

Medicamentos

Evite erros durante o uso de medicamentos
11 NOVEMBRO 2015

Cessar o tratamento por conta própria, não respeitar os horários estabelecidos para ingestão do medicamento e tomar quantidade acima do prescrito pelo médico são alguns erros cometidos por quem precisa tomar remédios e que podem trazer complicações gravíssimas. O alerta é do farmacêutico Marcelo Rodrigues, do Pronto-Socorro (PS) do Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, unidade da Secretaria de Estado da Saúde (Susam). A administração adequada dos medicamos resulta na recuperação da saúde. Porém, muitos pacientes saem dos consultórios com dúvidas em relação à receita.

 

“Tomar medicamento errado, com dose errada, ou indicado por outras pessoas, como amigos, vizinhos, parentes sem procurar um médico ou farmacêutico, é um erro grave que coloca em risco a saúde do paciente”, alerta Rodrigues. Fazer uso de bebidas alcoólicas durante os tratamentos e tomar medicamentos vencidos também é um risco.

 

O profissional destaca que é importante o paciente informar ao médico ou ao farmacêutico quais medicamentos já faz uso. “Tomar mais de uma medicação sem verificar se existe interação medicamentosa pode causar reações adversas e danos à saúde. Há medicamentos que não devem ser tomados juntos", explica.

 

O tratamento prescrito não pode ser abandonado antes da conclusão, mesmo que o paciente se sinta melhor. “O tratamento deve ser feito por completo, conforme prescrição médica, pois ao interrompê-lo existe uma grande possibilidade de que a doença se agrave. O paciente pode ter que retornar ao médico para tratar a mesma doença, porém nesta segunda consulta, provavelmente, o quadro estará mais avançado e será mais difícil tratá-lo”, ressaltou Rodrigues.

 

Dúvidas - Para evitar qualquer complicação, é necessário sair do consultório sem dúvidas em relação à receita. “Qual é o seu problema de saúde, quais medicamentos deverei utilizar, qual o melhor horário para tomar a medicação e como devo tomar ingerir o medicamento, com água, antes ou após as refeições? Essas são dúvidas que o paciente não pode ter”, destacou Rodrigues. Até quando o medicamento deve ser usado, as restrições do uso, as reações que causa e quando deve ser o retorno a consulta são outras informações que o paciente deve obter.

 

 Automedicação - A automedicação não é incentivada em nenhuma hipótese, pelo o alto risco que as drogas podem exercer nos seres humanos. “Às vezes temos a falsa impressão de estar tratando o problema com a sensação de alívio. Por exemplo, muitas pessoas tomam analgésicos para dores de cabeça, porém quase nunca procuram orientação para saber a causa dessas dores de cabeça. As pessoas devem estar em alerta aos cuidados com sua saúde, pois doenças tratadas de forma errada se agravam e fica cada vez mais difícil tratá-las com o passar o tempo”, explica o farmacêutico.

 

 Horário - Ao perder o horário do medicamento nunca dobre a dose, isto é perigoso e poderá trazer danos a sua saúde. Informe o esquecimento ao médico em sua próxima consulta.

 

 A maior parte dos medicamentos deve ser ingerida com água. Tomar medicamento com leite para não fazer mal ao fígado, por exemplo, é um mito.

 

“É importante observar sempre as especificações de cada medicamento, pois alguns devem ser ingeridos em jejum outros após as refeições. Peça sempre orientação de um farmacêutico para a escolha do melhor horário para tomar as medicações”, disse.

 

 Jejum - Tomar medicamentos em jejum pode dar náuseas. Grande parte dos medicamentos deve ser ingerida após alguma refeição.

 

 Reações adversas - Ao sentir falta de ar, arritmia, tonturas, manchas na pele, coceiras, ou qualquer outra sensação anormal após o uso de medicamentos é necessário suspender o uso do medicamento e procurar a unidade de saúde mais próxima. “Nunca deixe de informar o médico ou o farmacêutico sobre estas reações e suas alergias”, frisou.


Voltar
Todos direitos reservados | IMED - 2017 - Desenvolvido por líbero+