web

counter
 Imed

Doenças

Alta incidência de queimadas requer atenção para doenças pulmonares
23 SETEMBRO 2015

Pneumonia, doença pulmonar obstrutiva crônica e asma, são exemplos de como a exposição à fumaça das queimadas pode afetar a saúde. Até esta segunda-feira, 21, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) já registrou 51.358 focos que queimadas no Brasil em setembro. O número é 30,4% maior que o registrado em todo o mês de agosto, quando 39.384 focos foram identificados.

A principal recomendação nessa época, segundo o médico Bruno Meireles, do Pronto-Socorro do Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz, é procurar lugares arejados e evitar locais próximos a focos de queimadas.

Queimar galhos e lixo no quintal é crime contra o meio ambiente. O PS Delphina Aziz é uma unidade vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam) e administrado pela Organização Social Imed – Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento.

A queima de qualquer material gera liberação de partículas de monóxido de carbono, substância altamente danosa ao organismo. “No dia a dia, os efeitos do monóxido de carbono não são perceptíveis de imediato, mas com o passar do tempo podem trazer grandes danos à saúde. A exposição à fumaça das queimadas pode causar doenças porque a inalação dessas partículas comprometem as funções do pulmão”, explicou.

Incêndios

Quem é exposto a uma grande quantidade de fumaça em caso de um incêndio, por exemplo, tem que imediatamente procurar um pronto-socorro, orientou Meireles. As partículas de monóxido, quando entram na via respiratória, ocupam locais onde deveria haver oxigênio. Dessa forma, em caso de exposição, a grande quantidade de fumaça em um incêndio, por exemplo, o funcionamento da célula para o transporte do oxigênio é prejudicado, ou seja, a respiração é comprometida.

Nesses casos, com a dificuldade de respiração, o corpo precisa de mais oxigênio e a batida do coração é acelerada. Se a exposição à fumaça não for interrompida, pode haver até asfixia e morte. Em situação mais branda, a exposição a fumaça em excesso pode causa redução da visibilidade e deixar os olhos lacrimejando.  


Voltar
Todos direitos reservados | IMED - 2017 - Desenvolvido por líbero+