Queimação no estômago com sensação de que a comida vai voltar pela boca pode ser refluxo gastroesofágico

Queimação no estômago

É preciso ter atenção com aquele mal estar com queimação no estômago e com a sensação de que a comida toda quer voltar pela boca. Se você tem esses sintomas com frequência, procure um médico. Pode ser refluxo gastroesofágico, uma doença digestiva, informa a gastroenterologista Arlene Pinto, médica do Pronto-Socorro Delphina Rinaldi Abdel Aziz, unidade da Secretaria de Estado da Saúde (Susam).

Quando uma pessoa come, o alimento passa da garganta para o estômago através do esôfago. Uma vez que o alimento está no estômago, um anel de fibras musculares impede que o alimento se mova para trás, em direção ao esôfago. Se essas fibras não fecharem bem, tudo o que a pessoa comeu, bebeu e até mesmo o suco gástrico usado na digestão pode vazar de volta para o esôfago.

“A principal ferramenta diagnóstica são as queixas do paciente. Os sintomas típicos relatados pela maioria dos pacientes são pirose e regurgitação ácida, sendo que a pirose é definida como sensação de queimação no peito”, disse a médica.

Prevenção

Deitar logo após uma refeição favorece o refluxo. O ideal é evitar deitar-se até duas horas após as refeições. Os alimentos cítricos podem favorecer o aparecimento da doença, assim como o café, bebidas alcoólicas ou gasosas, menta, hortelã, fritura, gordura, embutidos, tomate e chocolate. “Bebidas gaseificadas aumentam a pressão dentro do estômago, forçando os ácidos digestivos a seguirem em sentido inverso, o chamado refluxo gástrico. Outras bebidas, em excesso, acabam diluindo o ácido gástrico e obrigando o estômago a produzi-lo em maior quantidade”, ressalta a especialista.

A doença é comum em idosos e mulheres, principalmente durante a gestação. Quem tem hérnia de hiato, é obeso, faz uso de medicamentos como anti-hipertensivos e fuma tem mais pretensão a ter refluxo. Pessoas que praticam esforço físico excessivo logo após as refeições e fatores genéticos também favorecem o refluxo.

Quem tem a doença deve procurar um especialista nos ambulatórios, orienta Arlene Pinto. Sem tratamento correto, o caso pode evoluir com complicações como, por exemplo, Esôfago de Barrett e adenocarcinoma de esôfago.

Comportamentos que evitam o refluxo:

1. Eleve de 15 centímetros da cabeceira da cama;
2. Modere a ingestão de alimentos: cítricos, café, bebidas alcoólicas e ou gasosas, menta, hortelã, tomate e chocolate;
3. Mantenha seu médico sempre informado sobre os medicamentos que você faz uso e os sintomas do refluxo;
4. Evite deitar-se nas duas horas posteriores às refeições;
5. Evite refeições copiosas;
6. Suspenda o consumo de cigarros e outros fumos;
7. Em caso de obesidade, é preciso reduzir o peso corporal.

Deixe um comentário